JEAN PONCE PROPÕE EXPERIÊNCIA INÉDITA COM VIRGA

Cocktails, Espíritos Brasileiros, Gin, Guarita, Jean Ponce, Virga -

JEAN PONCE PROPÕE EXPERIÊNCIA INÉDITA COM VIRGA

"Quem vê cara, não vê coração", já diz o velho ditado.


 E quem se precipita a julgar o Guarita (nova casa de Jean Ponce), comete o mesmo crime. É que à primeira vista ela pode parecer um pouco menos arrumada do que as pessoas esperam. Afinal, ele é um dos bartenders mais famosos do país, e conta no currículo com a elaboração de drinques para o premiadíssimo D.O.M, restaurante de Alex Atala.

Jean recebe o público em um sobrado bastante rústico, com mobília antiga e o espírito de “chega mais”. Ainda assim, as experiências junto aos coquetéis não perdem em nada. Entre essas aventuras, está a produção do drinque 77 (é o terceiro coquetel mais vendido no último mês). Ele é feito com gim Virga e foi bastante desafiador. “As pessoas tem muita dificuldade em aceitar o Guarita como minha casa, pois acham que ele é simples demais”, afirma Jean. “O mesmo acontece com o gim Virga que, por as pessoas não conseguirem o entender bem, acabam dizendo que ele não é gim.”

 

“As pessoas tem muita dificuldade em aceitar o Guarita como minha casa, pois acham que ele é simples demais”

 

 Quando Jean diz isso, ele fala sobre o fato de o brasileiro médio ainda não ter tido experiências complexas com o destilado holandês. Por estas bandas tupiniquins, durante muito tempo, era comum tomar um gim feito com álcool de muito baixa qualidade. “As pessoas não entendem que gim pode ser feito à base de diferentes tipos de álcool e, por ser feito de cana-de-açúcar e infusionado com sementes de coentro e pacová, o Virga, na verdade, apresenta características organolépticas muito superiores a dos destilados mais conhecidos”, afirma Jean Ponce. Para mudar isso, o bartender top 1 do Brasil criou uma experiência inusitada. “Eu peguei sete botânicos e fiz uma infusão rápida no Virga, durante 12 horas, e depois combinei as sete infusões para produzir a base do drinque 77”, diz.

 

Ou seja, no drinque existem sete botânicos flertando diretamente com a cultura brasileira que adora “curtir” ingredientes. São garrafadas feitas com ingredientes como arruda, camomila, poejo, losna, entre muitos outros. “Eu faço as infusões com os ingredientes que tenho à mão”, afirma. “O viagra da Amazônia, por exemplo, é incrível para fazer infusões, estamos sem, mas estou indo agora em Janeiro buscar mais e vou poder usá-lo”, diz.

 

 "(...)o Virga, na verdade, apresenta características organolépticas muito superiores a dos destilados mais conhecidos”


As pessoas podem questionar se o processo não acaba por camuflar o sabor do destilado. Entretanto, a resposta de Jean Ponce é incisiva. “Quando eu desenvolvi a receita eu nunca pensei em mascarar o destilado, pelo contrário”, afirma. “A ideia sempre foi a de mesclar a cultura nacional das garrafadas, por ele ser um gim brasileiro, e potencializar os sabores do Virga, trabalhando os aromas dele como um todo.”

Confira a receita do drinque abaixo:

Drinque 77

Ingredientes:

60ml de Virga infusionado
20 ml de calda de capim-santo
25 ml de suco de limão-tahiti
20 ml de clara de ovo

Preparo:

Bata todos os ingredientes e uma coqueteleira e faça dupla coagem servindo direto na taça.

 

Guarita Bar:
Rua Simão Álvares, 952 - Pinheiros
São Paulo - SP