Como fazer um bom coquetel? Veja as dicas valiosas dos bartenders

Para saber sobre como preparar um bom coquetel, dicas de drinks fáceis e rápidos, guarnições, gelo, copo e o que é imprescindível para ser um bom profissional da área, nós batemos um papo com alguns profissionais do mundo da coquetelaria: Rodolfo Bob e Alê D’Agostino – veja as dicas abaixo!

Rodolfo Bob

Rodolfo Bob é uma figurinha cativa - você pode acha-lo atrás ou na frentes dos melhores balcões de SP. Ele ministra alguns cursos na área da mixologia, treina equipe e dá consultoria para os bares e sabe o que acontece nos bastidores do mundo da coquetelaria!

GinFest: Qual é o seu coquetel favorite na vida?

Rodolfo Bob: SATAN’S WHISKERS, que curiosamente não leva uísque, e sim gim!

GF: Uma pessoa quer fazer uma festa e impressionar os amigos – qual a sua dica de ouro para que saia coquetéis redondos? O que não pode faltar?

RB: gelo. Ter muito gelo sempre. Nada mais frustrante do que uma festa sem gelo. Coquetéis com uma dose de destilado podem ser completados com não alcoólicos de vários tipos. Chás, sucos ou refrigerantes. É a base do GT, Cuba Libre, Bourbon Coke e do delicioso Gin And Juice. Aliás o último é o que eu mais bebo em casa.

GF - Quais são as características que você preza em um profissional de bar? 

RB-  Honestidade. Saber que nem sempre sabemos tudo é que nem sempre desenvolvemos boas receitas. É triste ver gente que conta histórias fiada e não sabe de coquetelaria. É desonesto isso.

GF – Quais são as dicas de combinações? Cítrico com amargo,  doce com amargo? Como faço para não errar?

RB - Em média um coquetel tem um equilíbrio nas proporções de uma parte de destilado para 1/2 parte de ácidos e 1/2 parte de doce, tipo a caipirinha ou Sours. 60 ml de cachaça ou rum, 25ml de suco de limão e 25 ml de xarope de açúcar. Isso é uma BASE pra quem não tem ideia de como começar. Vale ressaltar que o gosto pessoal é importante. Quer mais menos doce, experimenta e altera a medida. Mais ou menos amargo idem. Eu aconselho uma pesquisa em aplicativos ou sites de coquetéis. Comece com os clássicos ao invés de fazer coquetéis de "criação" rs

GF – Quais são os bares que um bom apreciador de coquetel não pode deixar de ir?

RB – 1) Frank - Considero o Spencer dos mais capacitados em executar clássicos. 2-Sub Astor, sempre tem uma carta incrível de coquetéis e quase uma década, mantém a qualidade dos drinks. Sentar na frente do Frajola e ver o homem trabalhar é sempre edificante 3-Guilhotina é o bar mais divertido de SP. O trabalho que Márcio Silva vem trazendo em derrubar um esnobismo que assolava a coquetelaria, é fantástico. Tem shot, tem drink pesado, tem tropical e tudo é bom e sem frescura. Tinha bartender a pouco tempo que achava que para ser um bom drink, era só se tivesse amargo alcoólico e com gravatinha e suspensório. Poxa os caras do Guilhotina foram lá e mostraram a essência da profissão. O cliente quer beber bem e se divertir sem se sentir dentro de um fórum ou banco. Vida Longa à equipe Guilhotina

GF – Dicas de sites e blogs para a galera pesquisar mais sobre a história e receitas de coquetéis?

RB - Eu sempre uso muito o Imbibe, Liquor a Esquire. Acredito que estejam entre as mais confiáveis

Alê D’Agostino 

O Alê é um dos caras por trás do Apothek Cocktails Co., uma empresa que vende os grandes clássicos da coquetelaria engarrafados. A marca também possui um bar na ‘garagem da firma’, que leva o mesmo nome. Para tomar umas e bater um papo com o simpático Alê, você tem de se programar, pois o local só abre três vezes na semana e sempre está lotado.  

Para quem não sabe, o Alê trabalhou 18 anos como bartender no icônico bar Spot, e era uma das figuras mais cativas daquele balcão.

GinFest: Um bom drink (fácil e rápido) para preparar para uma festa?

Alê D’Agostino: Eu tenho tomado bastante Amaro com tônica, conseguimos encontrar algumas boas opções, como Amado Lucano, a própria angostura está trazendo um também. E também mais opções de tônica.

GF: Tem alguma manha que você considera essencial para um bartender? 

AD: Não sei se é manhã, mas tem que saber os clássicos, Dry Martini, negroni, Manhattan, old fashioned....

GF: Gelo faz a diferença?

AD: Sim, muita! Tanto na apresentação quanto na diluição, resfriamento do drink, ou seja, no equilíbrio do drink.

GF: Um gin bom e barato?

AD: Amázzoni

GF:Um destilado que vale a pena investir dinheiro para ter no bar?

AD: Mezcal

Saber mais

Se você quer saber mais sobre alguns mestres, ou aprender mais sobre coquetelaria,  separamos aqui algumas dicas: 

Escola de bartenders comandada por grandes mestres como Mestre Derivan, Maurício Maia, Luís Claudio Simões e Zeca Meirelles: http://www.prodrinks.com.br/index.html

Dicas de cursos e também um ótimo site para pesquisa (comandado por Marco de La Roche): http://www.mixologynews.com.br/ 

Para ficar por dentro dos bastidores da coquetelaria, dos bares e eventos – siga no Facebook: https://www.facebook.com/OBarVirtual   

 Fique por dentro das notícias do GinFest: se inscreve na nossa newsletter e receba em primeira mão conteúdos exclusivos e as novidades do site!