Saiba aqui

Afinal de contas o que é Gin? Onde surgiu? Seco ou aromático? –Nós fizemos um ‘resumão’ para você saber um pouco mais sobre o destilado e fazer a escolha certa na hora de comprar uma garrafa; confira

Ficha Técnica

Gin, ou Gim, é uma bebida destilada com teor alcóolico entre 40% e 50%, que pode ser feita com um álcool neutro de qualquer processo de destilação. O que caracteriza o destilado é o processo da infusão do Zimbro (uma espécie de baga bem aromática da família das coníferas) com outras especiarias – que podem variar e possibilitam um leque de combinações e sabores (por isso que nós somos apaixonados).

 

Ou seja, o Gin é um destilado de qualquer tipo de álcool (não precisa ser de cereais) e tem de ter na receita o Zimbro.

 

História

A origem do Gin está ligada com um outro destilado conhecido como Genever, ou Genebra (que falamos aqui) e há vários registros ao longo da história que já relatavam a infusão de álcool com as sementes de zimbro e outros botânicos.

Um dos registros mais falados e erroneamente divulgados, dão os créditos ao médico holandês Franciscus Sylvius, que viveu no século 17 e usava uma receita parecida com o que conhecemos hoje como Genever para tratar doenças.

Porém a existência do Genever já estava presente na peça “The Duke of Milan”, de Philip Massinger, no ano de 1623, quando Sylvius tinha 9 anos.

Outra brecha na história é de alega-se que os soldados ingleses tomavam Genever antes de ir para os campos de batalha quando eles prestaram apoio à Holanda durante a ‘Guerra dos Oitenta Anos’, ou ‘Revolta Holandesa’, em 1585. Acredita-se que foi desse período que surgiu o famoso termo “Dutch Courage”, ou “Coragem Holandesa” em português.

Por conta da guerra, as relações comerciais entre Holanda e Inglaterra se intensificaram e culminou em um grande fluxo da bebida na terra da Rainha. Foi a partir dessa fase, por conta de problemas com a grande demanda e a falta de insumos, que surgiu a receita de Gin que conhecemos hoje.

A diferença entre Gin e Genever é que o Genever é obrigatoriamente feito com o Malt Wine, que é um fermentado de malte, e durante o século 18 a bebida ficou muito popular na Inglaterra e o Genever começou a ser consumido em larga escala, porém a demanda não estava atendendo o mercado e o processo de maltagem dos grãos era caro e demorado.

O que aconteceu foi que os produtores passaram a usar somente álcool neutro, que muitas vezes tinha uma má qualidade, e para disfarçar o cheiro eles passaram a fazer a infusão com cascas de frutas raízes e sementes – e foi assim que nasceu o Gin. Estima-se que em 1720, ao menos 25% dos lares ingleses produziam ou vendiam o destilado.

Com o passar do tempo desencadearam-se uma série de problemas de saúde pública ligados ao alcoolismo, o que forçou o governo inglês a tomar medidas duras como aumento dos impostos de produção e restrições nas vendas, sendo necessárias licenças para comercialização. Além disso, os destiladores só poderiam fornecer a vendedores em sua mesma jurisdição, para ter maior controle e fomentar a economia local.

Nas colônias britânicas em países tropicais, o Gin era usado para disfarçar o sabor do quinino usado preventivamente no combate à malária. Mas nos Estados Unidos no século 20, durante a lei seca, o destilado tornou-se o principal produto traficado pela máfia italiana.

 


 

Por conta da guerra, as relações comerciais entre Holanda e Inglaterra se intensificaram e culminou em um grande fluxo da bebida na terra da Rainha. Foi a partir dessa fase, por conta de problemas com a grande demanda e a falta de insumos, que surgiu a receita de Gin que conhecemos hoje.

A diferença entre Gin e Genever é que o Genever é obrigatoriamente feito com o Malt Wine, que é um fermentado de malte, e durante o século 18 a bebida ficou muito popular na Inglaterra e o Genever começou a ser consumido em larga escala, porém a demanda não estava atendendo o mercado e o processo de maltagem dos grãos era caro e demorado.

O que aconteceu foi que os produtores passaram a usar somente álcool neutro, que muitas vezes tinha uma má qualidade, e para disfarçar o cheiro eles passaram a fazer a infusão com cascas de frutas raízes e sementes – e foi assim que nasceu o Gin. Estima-se que em 1720, ao menos 25% dos lares ingleses produziam ou vendiam o destilado.

 

Com o passar do tempo desencadearam-se uma série de problemas de saúde pública ligados ao alcoolismo, o que forçou o governo inglês a tomar medidas duras como aumento dos impostos de produção e restrições nas vendas, sendo necessárias licenças para comercialização. Além disso, os destiladores só poderiam fornecer a vendedores em sua mesma jurisdição, para ter maior controle e fomentar a economia local.

Nas colônias britânicas em países tropicais, o Gin era usado para disfarçar o sabor do quinino usado preventivamente no combate à malária. Mas nos Estados Unidos no século 20, durante a lei seca, o destilado tornou-se o principal produto traficado pela máfia italiana.

Estilos de Gin

O Gin continua sendo feito da mesma maneira nos dias atuais (mas agora com álcool de qualidade) e cada marca tem a sua própria receita e técnicas diferentes de infusão. Porém, como dissemos anteriormente, todo Gin tem que ter o sabor presente do Zimbro, e para os botânicos podem ser incluídos diversos tipos de ervas, flores, frutas, pimentas e até chá. Produzir o destilado é fácil e rápido, e os botânicos auxiliam para que o sabor do álcool seja mais suave e palatável, sem ser tão agressivo na língua. A maioria dos gins vendidos no mercado atualmente tem a característica do estilo “London Dry”, muito disseminado por marcas tradicionais como a Beefeater e Tanqueray ,mas existem também outros estilos. Vamos entender quais são:

1. London Dry

O London Dry é o estilo de gin mais conhecido e disseminado para o grande público. Curiosamente, o London Dry não tem de ser feito necessariamente em Londres, mas tem que ter carcaterísticas do sabor do Zimbro infusionado com álcool neutro e botânicos, sem poder adicionar nada após o processo de destilação.
Dizem que a origem do nome Dry Martini não vem da quantidade de vermouth adicionada ao coquetel, mas sim de um expressão encurtada nos balcões para pedir "London Dry Martini". 
Se você quer experimentar um bom Gin ao estilo London Dry, você pode começar com o premium Sylvius.

2. Dutch Genever

Outro estilo, o Dutch Genever é o Genever mesmo, ou também conhecido como Genebra.  Historicamente este destilado  holandês é que deu origem ao Gin. O que caracteriza o Genever é que ao invés de usar o álcool neutro, o processo de destilação é feito com o Malt-wine, que é um fermentado de malte - e o sabor mais se assemelha a o whiskey.
O processo do Genever passa pelo envelhecimento em barril, ao contrário dos gins  que  tem processo muito rápido. O destilado amarelo e suave está ganhando o mercado novamente, e vários bares de coquetel estão revistando receitas de clássicos feitos com Genever.
Se você quiser entender mais sobre o processo e a história do destilado, nós recomendamos o artigo: "Precisamos falar sobre o Genever".

3. Old Tom

Old Tom Gin é um outro estilo do destilado que ficou muito popular nos séculos 18 e 19, comumente associado a um estilo particular de Gin. Nos dias atuais é um pouco difícil achar esse tipo específico, que é caracterizado pela adição de açúcar no processo de redestilação e que traz um sabor mais doce que o London Dry.

4. Gin composto a frio

Gin composto a frio provavelmente foi o mais predominante no mercado quando o destilado surgiu, consumido em larga escala pela classe trabalhadora inglesa.
O Gin composto a frio deriva seu sabor do extrato de zimbro com óleo e outras essências de  botânicos que ficam em infusão com o álcool neutro, depois filtrado e cortado com água. A técnica sofreu uma releitura e hoje no mercado podemos encontrar algumas marcas, como a Hendricks, que usa a técnica com essência de pepino e pétala de rosas.
 

Se você quer conhecer mais sobre os diferentes estilos de Gin, dá uma olhada nas nossas marcas favoritas:

Os coquetéis com Gin

Se você olhar em um guia de coquetéis, irá ver que mais de 50% das receitas contém ao menos uma dose de Gin (e não Vodka Uh!) Nós adoramos e deixamos aqui também a curadoria dos nossos drinks favoritos:

Separamos aqui também algumas dicas que achamos legais e que vão te deixar ainda mais por dentro do incrível mundo dos Gins. 

Se você gosta de história e quer saber mais sobre coquetéis clássicos, você vai gostar de ler "O Livro do Gin", que é o primeiro livro brasileiro sobre o destilado e vai te dar uma introdução sobre o que é Gin e seus variados estilos. Tem também um artigo legal sobre duas famosas destilarias holandesas: "Bem vindo à destilaria Onder de Boompjes".  "Onder de Boompjes"  "HOUSE OF HERMAN JANSEN" Conheça também a história do Gin artesanal holandês feito com especiarias tailandesas: "Bobby’s – Um Gim moderno e com história"